Expo Andy Warhol em Portugal

01

Apesar da exposição acontecer em outro continente, ela merecia um post.

A mostra conta com 32 obras emblemáticas de Andy Warhol. Campbells, Marlyn´s e Mick Jagger não poderiam faltar!

Mas vamos deixar as obras por um segundo de lado pois a galeria temporária projetada pelo LIKEarchitects merece toda atenção.  Instalada no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, o espaço de 75 m² foi erguido com latas de metal, e claro, não foi mera coincidência. A estrutura, carregada de simbolismo, começa com três fileiras de latas cheias de areia, dando uma certa estabilidade para as demais, que foram simplesmente empilhadas sobre estas. A cobertura foi feita com material transparente, garantindo a visibilidade pelos andares superiores.

Quem é capaz de passar por ali e não entrar ?

02

03

04

05

06

07

Fonte : Casa Vogue

Renata
Renata
Esta entrada foi publicada em Acontece por aí e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Sweet Escape no Quênia

Que tal mais um Sweet Escape com jeitinho africano? Eu não conheço o continente mas morro de vontade de visitar. E vocês?

Daria tudo para relaxar nesse hotel das fotos abaixo. Confiram…

montagem sweet escapeNada mal…gostaram?

Hannah
Hannah
Esta entrada foi publicada em Etc e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Inspíre-se #2

Já viram o “inspíre-se” de hoje cedo? Muito legal, eu adorei.

Para fechar o dia com mais humor, alegria e ousadia, vejam esses papéis de parede feitos para colocar em paredes externas.

A empresa italiana Wall & Deco, que é conhecida no mundo todo por criar papéis de parede requintados em grande escala, em 2012 introduziu o sistema de wallpapers para áreas externas. O sistema que consiste em um adesivo, um tecido técnico e um tratamento de acabamento, parece ter boa durabilidade e estar conquistando seu espaço cada dia mais, principalmente em Milão. O adesivo é aplicado em três partes que permitem reproduções fotográficas em ótima resolução e em diversos tamanhos.

 

wall paper exterior wall & deco
Que tal, gostaram?

 

 

 

by

 

 

Hannah
Hannah
Esta entrada foi publicada em Etc e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Inspire-se

A inspiração de hoje é super original e fácil de reproduzir. Todo casal tem sua divisão, o lado dele e o lado dela, não é mesmo? A sugestão de hoje é pendurar a foto do “dono” (porque o nosso lado é quase uma propriedade) em cima do seu lado. Com essa ideia ainda resolve-se a parede vazia acima da cama.

Solte a imaginação quando criar o quadro, as fotos devem combinar entre si, mas podem e devem ter um toque de humor. Acredite, isso vai mudar o astral do seu quarto.

housedecorpin

Fonte: A Beautiful Mess

Renata
Renata
Esta entrada foi publicada em Etc e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Tons pasteis em Melbourne

A casa já existia, no entanto não atendia a todos os desejos dos moradores, então uma reforma foi encomendada a Hecker Guthrie afim de trazer novos ares ao imóvel.

Além de demolir algumas paredes, o novo piso de carvalho que cobre toda a área interna deu unidade à moradia; e a luminosidade, que invade o espaço por todo lado, trouxe frescor e amplitude à residencia.

As cores foram cautelosamente inseridas no projeto, por vezes com tons mais escuros, mas na maioria dos casos dentro de uma paleta de tons pasteis, que misturadas à madeira deram personalidade e charme aos ambientes. É bem verdade que as “candy colors” ainda estão em alta, no entanto, ao olhar essa decoração esqueço modismos e acho que será linda sempre, dessas que não enjoamos e tornam-se atemporais. Vocês concordam ?

O pedido dos proprietários foi uma moradia de planta livre com um estilo fresh e chic, alguém tem dúvidas de que eles realizaram seu desejo ?

01

02

03

04

05

06

Querem levar esse clima delicioso para a sua casa ? Nós te ajudamos !

get the look

Fonte: Urbis Magazine / reprodução

Renata
Renata
Esta entrada foi publicada em Referências e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

E-commerce Ishela

Vocês que são viciados em e-commerce assim como eu, não podem deixar de passar no site da loja virtual Ishela. Já ouviram falar nela?

Se não, fiquem sabendo que é uma loja super legal de móveis e artigos de decoração étnicos.

Além de ter mais de mil produtos lindos e diferentes e vindo dos 5 continentes, disponíveis para venda, é possível comprar em mais de onze moedas diferentes. Podem acreditar, o site entrega em qualquer lugar do mundo. Incrível, né?

Ainda não testei, mas vale a tentativa! Aposto que não iremos nos arrepender.

ishelaClique aqui para entrar direto no site da loja!

Hannah
Hannah
Esta entrada foi publicada em Etc e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

MADE SP

Acabou ontem a MADE , feira sobre Mercado, Arte e Design que teve neste ano sua primeira edição em São Paulo, mais precisamente no Jockey Club. O evento foi aberto ao público, e buscou mostrar que o design vai além das fronteiras comerciais com criações inéditas (e únicas).

Misturando designers e marcas renomadas com jovens talentos, o salão foi um sucesso com peças que valem a pena conferir!

terreo

primeiro pavimento

Fonte: Casa Vogue

Renata
Renata
Esta entrada foi publicada em Acontece por aí e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Sweet Escape africano

É no meio do deserto, mais precisamente na NamibRand Nature Reserve – Namíbia, que esta localizado o hotel boutique  Wolwedans. São 5 construções, no melhor estilo camp,  envoltos por uma paisagem espetacular aonde pode viver uma típica experiência africana. Claro que não podia deixar de contar com atividades como safári ou um passeio de balão. Nada mais relaxante como esse contato com a natureza.

Capa

chales

 

dunes lodge

lodge suite

02

0ATIVIDADES

Fonte: Wolwedans

Renata
Renata
Esta entrada foi publicada em Etc e marcada com a tag , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Errata Corrige – Ekaterina Panikanova

O post de hoje é sobre um mostra que achei muito interessante e fora do comum, afinal não estamos acostumados com arte em livros, certo? Livros para nós, são apenas letras e poucas figuras que nos transmitem algum conhecimento ou apenas sentimento de prazer.

A artista Russa Ekaterina Panikanova, expõe sua arte na galeria Z2O em Roma, e sua série de título “Errata Corrige”, explora memórias da infância, que nos convida a descobrir a nós mesmos através da leitura nas linhas de nosso subconsciente.

A exposição que contém livros antigos, notebooks e estampas de diferentes épocas em uma grade irregular, reúne tudo em uma tela de grandes dimensões não convencional.

Dispostos em grupos, os livros se assemelham a pedaços de um quebra-cabeças que parecem ser dependentes um do outro. O resultado é uma série de espetaculares obras de arte tridimensionais que evitam o formato convencional de pintura.

Vamos ver?

Ekaterina-Panikanova-yatzer-2 Ekaterina-Panikanova-yatzer-3 Ekaterina-Panikanova-yatzer-5 Ekaterina-Panikanova-yatzer-6 Ekaterina-Panikanova-yatzer-9 Ekaterina-Panikanova-yatzer-10 Ekaterina-Panikanova-yatzer-14Interessante, né? Eu gostei bastante.

 

by

Hannah
Hannah
Esta entrada foi publicada em Acontece por aí, Etc e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Raio X | Gustavo Martini

01

A entrevista de hoje é com o jovem designer carioca Gustavo Martini.  Formado em Desenho Industrial pela PUC-Rio , Martini vêm chamando a atenção de lojas e industrias de decoração, e já teve publicações em revistas como Wish Casa, Casa e Jardim, Kaza e Morar Bem do jornal O Globo. E não é para menos, já no ano seguinte ao da sua formatura levou o terceiro lugar no prêmio Idea Brasil 2011 e foi finalista no IF Awards com o triciclo Woody, projeto desenvolvido nos tempos acadêmicos.

0 triciclo

“Criar por criar” e “design experimental despojado” são duas expressões pelas quais ele mesmo define seu trabalho em seu site. Um conceito forte que permeia toda a sua produção. Na entrevista abaixo podemos ver que apesar de desenvolver seus projetos em um estúdio no Jardim Botânico, Rio, suas idéias e inspirações vão muito além do atelier, e de fato, não poderiam caber entre 4 paredes. Guardem esse nome, ele vai longe !

Seus móveis são bem diferentes entre si, caminham da leveza do vidro até a força da madeira. Você acha que exista algum ponto aonde todas as suas obras se encontrem e formem o seu perfil como designer ?

- Acredito que eu tenha um traço contemporâneo que caminha pelo experimental, onde cada projeto possui sua própria narrativa, mas nunca deixando de lado a herança cultural de mobiliário brasileiro.

Como faço peças autorais, grande parte da minha história e trajetória ficam impregnadas nos produtos, algumas vezes de forma mais explicita e outra de forma mais discreta como acontece nos produtos mais mercadológicos.

01 gana guine

Conte um pouco sobre o seu processo de criação e o que te inspira.

-Penso que tudo me inspira, adoro quando posso ir ao trabalho de bicicleta e tenho a oportunidade de me desligar do cotidiano engessado em que vivemos. Tento esquecer toda aquela pressa e absorver ao máximo do meu entorno.

Posso ser influenciado por uma arquitetura, uma paisagem, uma história, uma música, qualquer coisa que meus sentidos consigam perceber de interessante. Tudo pode se tornar uma narrativa para um novo projeto.

Normalmente essa ideia abstrata vai para o lápis onde vai sendo esculpida a medida que preencho a folha de desenhos. Assim que consigo algo mais palpável, eu o levo para o computador e modelo em 3D para acertar as medidas e proporções.

01 mesa croquis

Que peça mais te desafiou?  Por quê?

- Cada peça tem seu próprio desafio, então acho um pouco difícil definir uma, mas se for pra arriscar, diria a mesa ripas.

O principal desafio foi em solucionar o descarte das tiras de vidro que sobravam dos cortes de cada chapa.

A princípio me foi apresentado que não era possível aproveitar o material e a inviabilidade da utilização estava relacionada à variação da espessura entre cada lote das folhas de vidro.

Durante a produção essa mínima mudança não representa problema significativo uma vez que cada lote gera várias peças e para elas é necessário fazer somente uma regulagem na máquina. No caso das peças já descartadas, se fossemos utilizar cada folha que estivesse entre os retalhos a produção acabaria fazendo o inverso e seria necessário muitas regulagens para apenas um produto.

A solução proposta foi readequar a produção da fábrica onde atualmente para a confecção da mesa, em vez das sobras serem descartadas, elas são lapidadas juntamente com o restante da chapa aproveitando a regulagem da máquina que se faz para o lote. As ripas então são armazenadas em um cavalete já trabalhadas e no tamanho exato para a utilização na mesa, aguardando apenas a entrada de pedidos para que sejam pintadas nas cores especificadas.

0 mesa ripas

Que material mais te instiga? E que material você ainda tem desejo de trabalhar?

-Gosto muito da madeira por nossa tradição, mas posso dizer que qualquer material me encanta.

Que importância você atribui ao apelo comercial do móvel enquanto esta criando? Pensa na produção em série?

- Na primeira etapa da criação eu tenho que admitir não me importar muito.

Mas como eu dou um tempo de amadurecimento entre a etapa do papel e o computador, eu acabo peneirando as ideias e escolhendo as que são mais interessantes para o momento/mercado.

Alguns momentos lanço produtos que não são tão vendáveis, mas que possuem uma alma forte, algo para acostumar o público com aquela ideia/conceito. Mesmo que a opção mais vendável seja algum produto que eu tenha desenhado com traços mais tradicionais, são aqueles mais experimentais que mais destacam minha personalidade.

Funcionalidade, estética e custo. Qual grau de importância de cada um desses aspectos em sua opinião?

-Nenhuma dessas. Minha primeira intenção é sempre mexer com as pessoas, seja pela curiosidade, por extrair um sorriso ou até mesmo por gerar um estranhamento. Em segundo poderia dizer funcionalidade, a estética normalmente é conseqüência de todo o trabalho e o custo pra mim está mais relacionado a viabilidade produtiva e comercial.
Existem alguns momentos também que eu simplesmente parto de um estudo formal, mas que de certa forma não deixa de se relacionar com o primeiro item.

Quem são suas maiores referências?

-Acredito fazer parte dessa nova leva de designers que são influenciados pelo mundo e pelo fácil acesso às informações. Penso que os movimentos do design se apresentam mais claramente quando olhamos com certo distanciamento e por isso evito definir uma pessoa específica.
Com os sites, blogs e revistas torna-se muito fácil saber o que acontece no mundo e definir seu caminho, claro, nunca deixando de lado suas raízes.

Se tiver que falar um nome específico, diria Dieter Rams apesar de claramente não seguir todos os seus ensinamentos.

Como se mantém atualizado sobre o mercado? Que feiras de design gosta mais?

- A internet tem facilitado bastante nessa questão, mas vivo conversando com pessoas da área, sejam designers, lojistas, fabricantes ou arquitetos.

Quanto à feira, as paralelas de Milão com certeza.

0 mesa multifuncional

Como você vê o cenário do mercado de design mundial ? E qual relevância do design brasileiro nele?

- Acho que o Brasil está começando a ser reconhecido pós Campanas né?!

Eles nos abriram muitas portas com sua forte identidade e agora o brasileiro vem apresentando sua identidade. E estou certo que grandes marcas estrangeiras cada vez mais estão de olhos abertos ao criativo brasileiro.

Rapidinhas:

Se não fosse designer, seria …. –

- triste.
Brincadeiras à parte, arquiteto com certeza. Adoro criar objetos e entender a relação deles com as pessoas, penso que a arquitetura não passa de um grande objeto.

Canto preferido da casa –

- escrivaninha.

Peça preferida –

- Sempre a que estou desenvolvendo no momento.

Objeto ou móvel de desejo –

- La Chaise de Charles e Ray Eames.

Um lugar que conheceu e ficará sempre guardado na memória –

-Veneza, adoraria passar 6 meses lá fazendo um curso de aquarela.

Clássico ou moderno –

- contemporâneo brasileiro.

mesa suspensamesa lateral peca unica

Renata
Renata
Esta entrada foi publicada em Raio X e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Expo Andy Warhol em Portugal

01

Apesar da exposição acontecer em outro continente, ela merecia um post.

A mostra conta com 32 obras emblemáticas de Andy Warhol. Campbells, Marlyn´s e Mick Jagger não poderiam faltar!

Mas vamos deixar as obras por um segundo de lado pois a galeria temporária projetada pelo LIKEarchitects merece toda atenção.  Instalada no Centro Comercial Colombo, em Lisboa, o espaço de 75 m² foi erguido com latas de metal, e claro, não foi mera coincidência. A estrutura, carregada de simbolismo, começa com três fileiras de latas cheias de areia, dando uma certa estabilidade para as demais, que foram simplesmente empilhadas sobre estas. A cobertura foi feita com material transparente, garantindo a visibilidade pelos andares superiores.

Quem é capaz de passar por ali e não entrar ?

02

03

04

05

06

07

Fonte : Casa Vogue

Renata
Renata

Sweet Escape no Quênia

Que tal mais um Sweet Escape com jeitinho africano? Eu não conheço o continente mas morro de vontade de visitar. E vocês?

Daria tudo para relaxar nesse hotel das fotos abaixo. Confiram…

montagem sweet escapeNada mal…gostaram?

Hannah
Hannah

Inspíre-se #2

Já viram o “inspíre-se” de hoje cedo? Muito legal, eu adorei.

Para fechar o dia com mais humor, alegria e ousadia, vejam esses papéis de parede feitos para colocar em paredes externas.

A empresa italiana Wall & Deco, que é conhecida no mundo todo por criar papéis de parede requintados em grande escala, em 2012 introduziu o sistema de wallpapers para áreas externas. O sistema que consiste em um adesivo, um tecido técnico e um tratamento de acabamento, parece ter boa durabilidade e estar conquistando seu espaço cada dia mais, principalmente em Milão. O adesivo é aplicado em três partes que permitem reproduções fotográficas em ótima resolução e em diversos tamanhos.

 

wall paper exterior wall & deco
Que tal, gostaram?

 

 

 

by

 

 

Hannah
Hannah

Inspire-se

A inspiração de hoje é super original e fácil de reproduzir. Todo casal tem sua divisão, o lado dele e o lado dela, não é mesmo? A sugestão de hoje é pendurar a foto do “dono” (porque o nosso lado é quase uma propriedade) em cima do seu lado. Com essa ideia ainda resolve-se a parede vazia acima da cama.

Solte a imaginação quando criar o quadro, as fotos devem combinar entre si, mas podem e devem ter um toque de humor. Acredite, isso vai mudar o astral do seu quarto.

housedecorpin

Fonte: A Beautiful Mess

Renata
Renata

Tons pasteis em Melbourne

A casa já existia, no entanto não atendia a todos os desejos dos moradores, então uma reforma foi encomendada a Hecker Guthrie afim de trazer novos ares ao imóvel.

Além de demolir algumas paredes, o novo piso de carvalho que cobre toda a área interna deu unidade à moradia; e a luminosidade, que invade o espaço por todo lado, trouxe frescor e amplitude à residencia.

As cores foram cautelosamente inseridas no projeto, por vezes com tons mais escuros, mas na maioria dos casos dentro de uma paleta de tons pasteis, que misturadas à madeira deram personalidade e charme aos ambientes. É bem verdade que as “candy colors” ainda estão em alta, no entanto, ao olhar essa decoração esqueço modismos e acho que será linda sempre, dessas que não enjoamos e tornam-se atemporais. Vocês concordam ?

O pedido dos proprietários foi uma moradia de planta livre com um estilo fresh e chic, alguém tem dúvidas de que eles realizaram seu desejo ?

01

02

03

04

05

06

Querem levar esse clima delicioso para a sua casa ? Nós te ajudamos !

get the look

Fonte: Urbis Magazine / reprodução

Renata
Renata

E-commerce Ishela

Vocês que são viciados em e-commerce assim como eu, não podem deixar de passar no site da loja virtual Ishela. Já ouviram falar nela?

Se não, fiquem sabendo que é uma loja super legal de móveis e artigos de decoração étnicos.

Além de ter mais de mil produtos lindos e diferentes e vindo dos 5 continentes, disponíveis para venda, é possível comprar em mais de onze moedas diferentes. Podem acreditar, o site entrega em qualquer lugar do mundo. Incrível, né?

Ainda não testei, mas vale a tentativa! Aposto que não iremos nos arrepender.

ishelaClique aqui para entrar direto no site da loja!

Hannah
Hannah

MADE SP

Acabou ontem a MADE , feira sobre Mercado, Arte e Design que teve neste ano sua primeira edição em São Paulo, mais precisamente no Jockey Club. O evento foi aberto ao público, e buscou mostrar que o design vai além das fronteiras comerciais com criações inéditas (e únicas).

Misturando designers e marcas renomadas com jovens talentos, o salão foi um sucesso com peças que valem a pena conferir!

terreo

primeiro pavimento

Fonte: Casa Vogue

Renata
Renata

Sweet Escape africano

É no meio do deserto, mais precisamente na NamibRand Nature Reserve – Namíbia, que esta localizado o hotel boutique  Wolwedans. São 5 construções, no melhor estilo camp,  envoltos por uma paisagem espetacular aonde pode viver uma típica experiência africana. Claro que não podia deixar de contar com atividades como safári ou um passeio de balão. Nada mais relaxante como esse contato com a natureza.

Capa

chales

 

dunes lodge

lodge suite

02

0ATIVIDADES

Fonte: Wolwedans

Renata
Renata

Errata Corrige – Ekaterina Panikanova

O post de hoje é sobre um mostra que achei muito interessante e fora do comum, afinal não estamos acostumados com arte em livros, certo? Livros para nós, são apenas letras e poucas figuras que nos transmitem algum conhecimento ou apenas sentimento de prazer.

A artista Russa Ekaterina Panikanova, expõe sua arte na galeria Z2O em Roma, e sua série de título “Errata Corrige”, explora memórias da infância, que nos convida a descobrir a nós mesmos através da leitura nas linhas de nosso subconsciente.

A exposição que contém livros antigos, notebooks e estampas de diferentes épocas em uma grade irregular, reúne tudo em uma tela de grandes dimensões não convencional.

Dispostos em grupos, os livros se assemelham a pedaços de um quebra-cabeças que parecem ser dependentes um do outro. O resultado é uma série de espetaculares obras de arte tridimensionais que evitam o formato convencional de pintura.

Vamos ver?

Ekaterina-Panikanova-yatzer-2 Ekaterina-Panikanova-yatzer-3 Ekaterina-Panikanova-yatzer-5 Ekaterina-Panikanova-yatzer-6 Ekaterina-Panikanova-yatzer-9 Ekaterina-Panikanova-yatzer-10 Ekaterina-Panikanova-yatzer-14Interessante, né? Eu gostei bastante.

 

by

Hannah
Hannah

Raio X | Gustavo Martini

01

A entrevista de hoje é com o jovem designer carioca Gustavo Martini.  Formado em Desenho Industrial pela PUC-Rio , Martini vêm chamando a atenção de lojas e industrias de decoração, e já teve publicações em revistas como Wish Casa, Casa e Jardim, Kaza e Morar Bem do jornal O Globo. E não é para menos, já no ano seguinte ao da sua formatura levou o terceiro lugar no prêmio Idea Brasil 2011 e foi finalista no IF Awards com o triciclo Woody, projeto desenvolvido nos tempos acadêmicos.

0 triciclo

“Criar por criar” e “design experimental despojado” são duas expressões pelas quais ele mesmo define seu trabalho em seu site. Um conceito forte que permeia toda a sua produção. Na entrevista abaixo podemos ver que apesar de desenvolver seus projetos em um estúdio no Jardim Botânico, Rio, suas idéias e inspirações vão muito além do atelier, e de fato, não poderiam caber entre 4 paredes. Guardem esse nome, ele vai longe !

Seus móveis são bem diferentes entre si, caminham da leveza do vidro até a força da madeira. Você acha que exista algum ponto aonde todas as suas obras se encontrem e formem o seu perfil como designer ?

- Acredito que eu tenha um traço contemporâneo que caminha pelo experimental, onde cada projeto possui sua própria narrativa, mas nunca deixando de lado a herança cultural de mobiliário brasileiro.

Como faço peças autorais, grande parte da minha história e trajetória ficam impregnadas nos produtos, algumas vezes de forma mais explicita e outra de forma mais discreta como acontece nos produtos mais mercadológicos.

01 gana guine

Conte um pouco sobre o seu processo de criação e o que te inspira.

-Penso que tudo me inspira, adoro quando posso ir ao trabalho de bicicleta e tenho a oportunidade de me desligar do cotidiano engessado em que vivemos. Tento esquecer toda aquela pressa e absorver ao máximo do meu entorno.

Posso ser influenciado por uma arquitetura, uma paisagem, uma história, uma música, qualquer coisa que meus sentidos consigam perceber de interessante. Tudo pode se tornar uma narrativa para um novo projeto.

Normalmente essa ideia abstrata vai para o lápis onde vai sendo esculpida a medida que preencho a folha de desenhos. Assim que consigo algo mais palpável, eu o levo para o computador e modelo em 3D para acertar as medidas e proporções.

01 mesa croquis

Que peça mais te desafiou?  Por quê?

- Cada peça tem seu próprio desafio, então acho um pouco difícil definir uma, mas se for pra arriscar, diria a mesa ripas.

O principal desafio foi em solucionar o descarte das tiras de vidro que sobravam dos cortes de cada chapa.

A princípio me foi apresentado que não era possível aproveitar o material e a inviabilidade da utilização estava relacionada à variação da espessura entre cada lote das folhas de vidro.

Durante a produção essa mínima mudança não representa problema significativo uma vez que cada lote gera várias peças e para elas é necessário fazer somente uma regulagem na máquina. No caso das peças já descartadas, se fossemos utilizar cada folha que estivesse entre os retalhos a produção acabaria fazendo o inverso e seria necessário muitas regulagens para apenas um produto.

A solução proposta foi readequar a produção da fábrica onde atualmente para a confecção da mesa, em vez das sobras serem descartadas, elas são lapidadas juntamente com o restante da chapa aproveitando a regulagem da máquina que se faz para o lote. As ripas então são armazenadas em um cavalete já trabalhadas e no tamanho exato para a utilização na mesa, aguardando apenas a entrada de pedidos para que sejam pintadas nas cores especificadas.

0 mesa ripas

Que material mais te instiga? E que material você ainda tem desejo de trabalhar?

-Gosto muito da madeira por nossa tradição, mas posso dizer que qualquer material me encanta.

Que importância você atribui ao apelo comercial do móvel enquanto esta criando? Pensa na produção em série?

- Na primeira etapa da criação eu tenho que admitir não me importar muito.

Mas como eu dou um tempo de amadurecimento entre a etapa do papel e o computador, eu acabo peneirando as ideias e escolhendo as que são mais interessantes para o momento/mercado.

Alguns momentos lanço produtos que não são tão vendáveis, mas que possuem uma alma forte, algo para acostumar o público com aquela ideia/conceito. Mesmo que a opção mais vendável seja algum produto que eu tenha desenhado com traços mais tradicionais, são aqueles mais experimentais que mais destacam minha personalidade.

Funcionalidade, estética e custo. Qual grau de importância de cada um desses aspectos em sua opinião?

-Nenhuma dessas. Minha primeira intenção é sempre mexer com as pessoas, seja pela curiosidade, por extrair um sorriso ou até mesmo por gerar um estranhamento. Em segundo poderia dizer funcionalidade, a estética normalmente é conseqüência de todo o trabalho e o custo pra mim está mais relacionado a viabilidade produtiva e comercial.
Existem alguns momentos também que eu simplesmente parto de um estudo formal, mas que de certa forma não deixa de se relacionar com o primeiro item.

Quem são suas maiores referências?

-Acredito fazer parte dessa nova leva de designers que são influenciados pelo mundo e pelo fácil acesso às informações. Penso que os movimentos do design se apresentam mais claramente quando olhamos com certo distanciamento e por isso evito definir uma pessoa específica.
Com os sites, blogs e revistas torna-se muito fácil saber o que acontece no mundo e definir seu caminho, claro, nunca deixando de lado suas raízes.

Se tiver que falar um nome específico, diria Dieter Rams apesar de claramente não seguir todos os seus ensinamentos.

Como se mantém atualizado sobre o mercado? Que feiras de design gosta mais?

- A internet tem facilitado bastante nessa questão, mas vivo conversando com pessoas da área, sejam designers, lojistas, fabricantes ou arquitetos.

Quanto à feira, as paralelas de Milão com certeza.

0 mesa multifuncional

Como você vê o cenário do mercado de design mundial ? E qual relevância do design brasileiro nele?

- Acho que o Brasil está começando a ser reconhecido pós Campanas né?!

Eles nos abriram muitas portas com sua forte identidade e agora o brasileiro vem apresentando sua identidade. E estou certo que grandes marcas estrangeiras cada vez mais estão de olhos abertos ao criativo brasileiro.

Rapidinhas:

Se não fosse designer, seria …. –

- triste.
Brincadeiras à parte, arquiteto com certeza. Adoro criar objetos e entender a relação deles com as pessoas, penso que a arquitetura não passa de um grande objeto.

Canto preferido da casa –

- escrivaninha.

Peça preferida –

- Sempre a que estou desenvolvendo no momento.

Objeto ou móvel de desejo –

- La Chaise de Charles e Ray Eames.

Um lugar que conheceu e ficará sempre guardado na memória –

-Veneza, adoraria passar 6 meses lá fazendo um curso de aquarela.

Clássico ou moderno –

- contemporâneo brasileiro.

mesa suspensamesa lateral peca unica

Renata
Renata